Por qual razão o treinamento em normas de segurança é interessante para manter a saúde do trabalhador e a saúde – até mesmo financeira – das empresas?

Simples. Não basta termos claro somente a teoria das coisas, é preciso praticar e para isso permitam-me associar através de uma analogia, a emissão da Carteira Nacional de Habilitação, a nossa famosa CNH. Excluindo-se a fase de pagamento de taxas, é necessário passarmos por uma carga horária mínima de teorias, realizar uma avaliação teórica deste conteúdo, para posteriormente – se aprovado for – realizar as aulas práticas e, ainda assim, sermos aprovados em avaliação prática ao conduzir em segurança um automóvel. Sem a CNH não é permitido, por força de legislação, conduzir um veículo motorizado.
Semelhante ao processo mencionado, poderia – e deveria – ser frente as normas regulamentadoras e outras normas complementares relativas à segurança e saúde nos postos de trabalho, pois só se cuida daquilo que se conhece. Grande parte dos acidentes graves e/ou fatais se dá por falta de conhecimento no que está sendo executado pelo trabalhador, seja na área de inflamáveis (NR-20), espaço confinado (NR-33), altura (NR-35), operações periculosas (NR-16) e outros tantos riscos nos postos de trabalho.

O excesso de confiança, o desconhecimento e também o descuido das empresas nos ambientes laborais são algumas das causas dos graves acidentes que ocorrem pela não-observância dos treinamentos. Caso tivéssemos mais treinamentos, menos vidas ceifadas teríamos entrando para as tristes estatísticas de acidentes fatais envolvendo os postos de trabalho, menos famílias desamparadas teríamos e, menos custos fixos e variáveis para as empresas que têm a infelicidade de ocorrer incidentes e acidentes em suas dependências.
Além do que está exposto no parágrafo anterior, com os treinamentos realizados em sua plenitude, acelera-se as atividades no dia a dia, pois o colaborador se sente mais seguro e confiante diante de suas metas de trabalho e acaba produzindo mais e melhor em menor tempo, com as mesmas ferramentas, do que aqueles que não obtém treinamentos.

Completando a analogia da CNH, somente com este documento provamos que estamos habilitados a conduzir um veículo motorizado e, somente após um treinamento ou uma capacitação certificada, ou seja, através de um certificado expedido por uma empresa capacitadora, contendo profissionais legalmente habilitados, estaríamos autorizados a colocar-se em risco diante das atividades laborais de nosso dia a dia.

07 de junho de 2021.

Guilherme J. Herdt é Engenheiro Ambiental, Técnico em Segurança do Trabalho, em fase final da Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho. Possui conhecimento nas áreas de Trabalho em Altura e Espaço Confinado. Foi professor de curso técnico em Segurança do Trabalho e instrutor de diferentes instituições de ensino e ministrou capacitações nas áreas ambiental e também de segurança do trabalho, incluindo, como convidado, a empresa QAP Treinamentos. Atualmente é colaborador da rede Sesi SC.